Carro  com Ar Condicionado Automotivo com problemas, fale com mecânicos especializados SP.

È possivel desmontar o radiador de ar quente sem desmontar o painel, as únicas diferenças são:as peças desmontadas e o radiador só saem do lado do motorista, e os parafusos do lado do passageiro ficam um pouco mais escondidos, você pode soldar o radiador danificado mas nao tive muita sorte ele estava muito ruim acabei optando por desativa-lo.

 A grosso modo, o aparelho de ar quente leva uma parte do ar frio que vem de fora do carro (através de dutos) até o líquido de arrefecimento que está passando pelo seu radiador(também através de dutos) retirando-lhe parte do calor. Ao final esse ar que agora está quente é lançado no interior do veículo …

A mangueira que sai do cabeçote e vai no radiador do ar quente do  gol furou e não parava de pingar agua , trocando as mangueiras  e com a retirada da mesma quebrou o bico do radiador pois ele ressecou.

Manutenção no sistema de arrefecimento? Ah, isso qualquer um sabe fazer. Drenar e encher um reservatório? Não deve ser tão difícil assim… Errado, tudo errado. Fazer a troca do líquido de arrefecimento do veículo pode ser um procedimento simples, mas é preciso alguns cuidados que só o mecânico capacitado tem, principalmente, em relação à escolha do produto adequado e aos danos causados, até mesmo em outros componentes, pela falta de manutenção e como solucioná-los.

“É preciso ter em mente que o aditivo não tem apenas a função de elevar o ponto de ebulição e abaixar o ponto de congelamento do líquido de arrefecimento. Isso é relativamente fácil de fazer. A pressurização do sistema é a responsável por grande parte dessa mudança. Ou seja: num caso de emergência, se o sistema for abastecido com água potável, as bolhas de ar forem devidamente removidas e começar a operar sem vazamentos e com a tampa controladora de pressão em bom estado (dentro da pressão estipulada pelo fabricante), muito dificilmente ocorrerá um superaquecimento ou cavitação. Os problemas gerados por essa prática tendem a manifestar sintomas apenas a longo prazo. O grande segredo do aditivo reside em conferir ao líquido outras propriedades desejáveis. Por exemplo: evitar a corrosão dos metais ferrosos e não ferrosos (alumínio) e manter a elasticidade dos materiais sintéticos (plásticos e borrachas). Dependendo da formulação, um aditivo pode proteger uma parte do sistema a atacar outra (corrosão galvânica), cujos danos serão visíveis apenas depois de um bom tempo. É preciso tomar muito cuidado na hora de fazer uma aplicação”, complementa o engenheiro com mais de 20 anos de experiência no setor.

Ou seja, o aditivo, além de ajudar a refrigerar o motor, é essencial para lubrificar a bomba d’água, a válvula termostática e aumenta a vida útil das mangueiras e dos sensores de temperatura. Evita também a deterioração de todo o conjunto de arrefecimento e o surgimento de bolhas que provocam cavitação, que também ajuda no processo de deterioração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *